quarta-feira, 28 de julho de 2010

CANTAR

 foto: internet

Tão longo caminho
E todas as portas
Tão longo o caminho
Sua sombra errante
Sob o sol a pino
A água de exílio
Por estradas brancas
Quanto passo andado
País ocupado
Num quarto fechado.

As portas se fecham
Fecham-se janelas
Os gestos se escondem
Ninguém lhe responde
Solidão vindima
E não querem vê-lo
Encontra silêncio
Que em sombra tornados
Naquela cidade.

Quanto passo andado
Encontrou fechadas
Como vai sozinho
Desenha as paredes
Sob as luas verdes
É brilhante e fria
Ou por negras ruas
Por amor da terra
Onde o medo impera.

Os olhos se fecham
As bocas se calam
Quando ele pergunta
Só insultos colhe
O rosto lhe viram
Seu longo combate
Silêncio daqueles
Em monstros se tornam
Tão poucos os homens.

Sophia de Mello B. Andresen

14 comentários:

  1. Nice words and beautiful picture Teca.

    regards and kisses, Joop

    ResponderExcluir
  2. Bellísimo poema, Amiga Teca!!


    Un saludo especial

    ResponderExcluir
  3. Palabras suaves y melodiosas muy bien encadenadas.
    Me gustó!!

    ResponderExcluir
  4. Brilhante embora...Tão longo o caminho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Lindo o poema, assim como a foto também, adorei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Mas, quem pode imitar Sophia Andresen? O seu sentimento, a singeleza das sua palavras, o amor ao próximo, só mesmo ELA.

    ResponderExcluir
  7. Amigos, obrigada a todos pela visita! Vocês são sempre bem-vindos aqui! Preenchem meu vazio... minha vida... obrigada!
    Me desculpem hoje por não responder um a um...
    Um beijo carinhoso! Um abraço caloroso!
    ****************
    Friends, thank you for visiting! You are always welcome here! Fill my emptiness ... my life ... thanks!
    I'me sorry not responding today to one by one ...
    Kisses and hugs with love.

    ResponderExcluir
  8. Amin, I agree with you, darling!
    Kisses.

    ResponderExcluir